Curta a nossa página
Boa noite!  Teresina, 15 de setembro de 2019
 
07/06/2019 às 09h18 O âncora Você está aqui: Home / Brasil Imprimir postagem

Atlas da Violência: Brasil registrou mais de 65 mil homicídios em 2017

Taxa nas regiões Norte e Nordeste aumentaram 68% no período de 10 anos

O Brasil registrou 65.602 homicídios no ano de 2017, o que corresponde a 31,6 assassinatos por 100 mil habitantes. Os dados foram divulgados no Atlas da Violência 2019, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, nesta quarta-feira (5).

Entre 2007 e 2017, os homicídios cresceram 2,8 vezes mais nas regiões Norte e Nordeste do que a média nacional. A taxa de assassinatos nessas duas regiões aumentou 68% no período, saltando para 48,3 vítimas por 100 mil habitantes.

Enquanto isso, a média nacional cresceu 24%, atingindo o patamar inédito de 31,6. O Sudeste e o Centro-Oeste tiveram uma leve diminuição, e o Sul ficou estável.

Entre 2007 e 2017, o assassinato de negros cresceu 10 vezes mais do que o de não-negros (brancos, amarelos e indígenas). Já a morte violenta intencional de jovens de 15 a 29 anos aumentou 38% no mesmo período – em 2017, por exemplo, esse grupo etário representou 54% do total de homicídios, ainda que corresponda só a 25% da população brasileira.

No Rio Grande do Norte, a taxa de homicídios de 62,8 mortes por 100 mil habitantes, recordista no país, teve aumento de 229% em 10 anos. No extremo oposto está São Paulo, com 10,3 mortes por 100 mil habitantes e queda de 34% no período.

OPINIÃO

— Desde os anos 2000 existe um aumento dos homicídios no Norte e Nordeste — aponta o economista Daniel Cerqueira, coordenador do estudo.

— Ele tem a ver com o crescimento da renda no país naquele período, porque circulação de dinheiro atrai mercados ilícitos, principalmente o de drogas, e também tem a ver com a guerra entre facções do crime organizado — explica.

Diário Gaúcho

 


  Tags:

sem tags

Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.